Vanessa Paradis é capa da Madame Figaro

Vanessa Paradis foi fotogradada por Mathieu César para a nova edição da Madame Figaro em duas capas: uma delas na edição do jornal Le Figaro do dia 26/05/19 e a edição mensal de junho.

Documentário “Haut les filles” é apresentado em Cannes

Vanessa Paradis faz parte do documentário “Haut les filles” que foi apresentado em Cannes nesse ano de 2019. Veja abaixo a tradução:

DIRETAMENTE DE CANNES. Apresentado na Croisette em pré-estréia antes de seu lançamento em 3 de julho, este documentário dá a palavra a dez cantores que falam sobre seu ofício como raramente antes.

Exibido na segunda-feira, 20 de maio, à noite, em uma tela gigante instalada na areia, “Haut les filles”, de François Armanet, é um documentário muito surpreendente. Em primeiro lugar, porque se interessa por um assunto raramente considerado: a história do rock feminino, dos anos 60 até os dias atuais. Então, porque ele dá a palavra a dez cantores que percebemos que ouvimos até agora mais do que ouvimos. Françoise Hardy, Brigitte Fontaine, Ellie Medeiros, mas também Charlotte Gainsbourg, Vanessa Paradis, Lou Doillon, Jeanne, Camelia Jordana e muitos outros contam como a música entrou em suas vidas, como eles tiveram que superar medos, complexo, dúvidas. Como elas foram colocadas em uma cena cheia por homens. Quanto elas atribuem importância à luta feminista…

“Eu fiquei intimidada, queria que alguém confiasse em mim” – Vanessa Paradis
“Eu era muito jovem quando comecei, eu tenho uma voz de desenho animado, uma voz tão infantil, às vezes eu cantava muito alto e era muito atroz ou muito suave e não ia bem. Foi em “Divine Idylle”, um álbum que Mathieu Chedid escreveu para mim, que houve uma mudança. Ele me disse “você é um grande artista” e eu acreditei nisso. Me fez bem (…) Não tinha um ano quando comecei, não era bom como somos todos nessa idade, nos perguntamos quem somos, o que nós vou fazer etc. Eu comecei este negócio por um sucesso muito grande (Joe le táxi), então eu vi muito e ouvi … eu estava tão intimidada … Mas eu não queria ter Eu queria ter certeza de mim mesmo, exceto que eu não parecia confiante, mas pretensioso, não ajudava … Foi horrível. escola nos subúrbios, peguei o RER pela manhã e as pessoas me olhavam como se eu fosse um animal enjaulado e) Eles não disseram nada em voz alta: eu era criança e esses comentários eram monstruosos. Eles me insultaram, me trataram com todos os nomes dos pássaros, me atacaram sobre meu físico, minha falta de talento … Quase deu errado. A grande chance que tenho é de ter pais extraordinários “, diz Vanessa Paradis.

Fonte