Tradução: Seventeen, EUA (1992)

Paraíso achado: A cantora Vanessa Paradis, a adolescente mais famosa da França, desafia os EUA.

Linguagem corporal é universal. Então mesmo se você entender de paradas francesas em alta costura, crepes Suzette, e ooh la la, você não vai ter problema em entender Vanessa Paradis. Veja ela no set quando ela agarra um boné do assistente do fotógrafo e coloca em cima de seu coque – isso te diz que essa parisiense de 19 anos é bricalhona, paqueradora…e um pouco aborrecida. Já que modelagem não é o seu negócio – cantar é. Não ouviu falar dela? Bem, ela é tão grande em seu país natal como a Madonna é aqui – uma grande pop star, com três álbuns e singles de sucesso. E o CD que ela está fazendo agora é certeza em fazer sucesso, vendo como ela está colaborando com o muito high-profile rock star americano.

“Eu estava na minha gravadora e nós estávamos falando de achar um produtor americano, e eu disse, ‘okay, eu gostaria do Lenny Kravitz,'” Vanessa relata em seu ronrom puxando o R. “Mas eu nunca pensei que fosse acontecer; era só um sonho. Aí eu recebi uma ligação dizendo, ‘Lenny Kravitz está em Paris e ele gostaria de te conhecer.’ Eu pensei que fosse uma piada!”Bem, não era piada: os dois se conheceram em um estúdio e apesar da barreira de linguagem que existia naquele tempo, eles de alguma maneira se comunicaram – e decidiram trabalhar juntos. Com Lenny escrevendo as músicas e fazendo os arranjos, o próximo álbum vai ser uma mudança do estilo usual da Vanessa. “Vai ser muito diferente,” ela revela. “Muito de soul, blues, funk, rock, e underground.” Perfeito, considerando a mistura dos favoritos da Vanessa: Prince, Aretha Franklin, James Brown, Rickie Lee Jones, e The Doors.

Enquanto ela está excitada com o projeto, essa cantora magra tem o ar de alguém bem conhecida em ser o centro das atenções. O que faz sentido, já que ela é uma estrela a anos.“Eu sempre soube que queria ser uma artista. Eu não sabia se queria ser uma atriz ou uma cantora, mas a idéia de levantar às 8, ir para o escritório e sentar numa mesa – de jeito nenhum!” A sua batida boêmia era bem óbvia quando ela veio para NY para trabalhar com Lenny. Apesar de estar reservado seu quarto em um dos hotéis mais legais da cidade, Vanessa rapidamente começou a procurar um loft no SoHo – a área artística em Manhattan – para ficar.
Aqui está como sua carreira brilhante começou: seu tio a apresentou à seu melhor amigo, Franck Langolff, que é um tipo criativo nos negócios da música. Vanessa jura que não sabia que seu tio estava pressionando o amigo para escrever uma música para ela. Finalmente, quando a Vanessa tinha 14 anos, Franck apareceu. “Foi assim, Oh, nós vamos fazer a menininha e dar uma música à ela,” Vanessa explica, contando também que quando sua música, “Joe le Taxi,” ficou em 1º lugar, “Nós estávamos todos surpresos!”

Felizmente para Vanessa, ela nunca teve que escolher só uma das diferentes formas artísticas que apareceram para ela. Logo depois que ela terminou seu 2º CD, ela lançou sua 1º filme Boda Branca. “É sobre uma jovem garota que se apaixona por seu professor de filosofia, que é casado,” Vanessa explica. “É um filme trágico porque eu estou morrendo por ele no final, morrendo por amor.” Agora, com suas carreiras de cinema e música à todo vapor, Vanessa está fazendo o negócio de manequim – não só para essas páginas mas para o perfume da Chanel, Coco. Não tenha a idéia errada, embora: “Eu não sou uma modelo mesmo! Chanel e Vanessa Paradis estão trabalhando juntas,” ela diz muito vigorosamente. “É como uma associação.”

Não que ela ligue em usar as roupas mais incríveis do mundo. “Eu sou uma mulher – eu amo roupas!” diz Vanessa. “Eu não posso dizer qual é o meu estilo,” ela insiste. “Eu poderia usar as roupas que eu uso para Chanel, mas eu também uso jeans, camisetas, botas, e nenhuma maquiagem, e eu fico tipo, me deixe em paz! Eu sou ótima desse jeito! Oh, e às vezes eu gosto de usar um terno sexy para mulher…ou um terno de homem…ou shorts – só depende do meu humor.” No dia que ela foi ao nosso escritório, Vanessa estava vestido num estipo neo-hippie (uma influência de Lenny Kravitz, talvez?): cabelo partido no meio, uma blusa com decote em U, e uma jaqueta jeans que tinha que ser alguns anos mais velha do que ela é.

Sem ser ir para botiques, o que Vanessa faz por diversão? “Eu não sei se você chamaria isso de diversão, mas eu amo ir ver meus pais e minha irmã menor, que tem 8 anos e é tão fofa!” Vanessa também curte sair com os amigos, mas tem que ser espontâneo. “Nós nunca planejamos nada. É sexta á noite e nós simplesmente dizemos, ‘Vamos!’”
Esse tipo de noite relaxada na cidade, é uma coisa bem rara, por causa de todas as viagens que involvem a sua carreira. “Eu sempre quis viver uma aventura,” ela diz. “Você discobre novas pessoas, uma nova cultura, novos lugares – eu amo coisas novas!” Os EUA definitivamente ganharam seu selo de aprovação: Eu estou tipo renascida, porque ninguém me conhece aqui. Eu posso andar pelo Central Park, comer um pedaço de pizza. Em Paris, eu não posso ser eu mesma – cem olhos sempre estão me olhando.”

Assim é o destino dos super famosos. Também é difícil estar apaixonada e viver uma aventura. “Eu não tenho um namorado agora, mas eu estava com um cara por três anos, e era tão forte. Mas agora está acabado porque a minha vida é assim, e estou me concentrando na minha música.” Nessa veia, Vanessa vem fazer um pouco de escrita de letras, mas seus originais não vão aparecer no novo álbum. “Eu não posso escrever em inglês ainda. Em francês você pode dizer algumas coisas bem legais que ficariam estúpidas em inglês,” ela diz.

Mesmo que a nossa língua esteja atrasando sua escrita, Vanessa só tem coisas boa para falar sobre os EUA: “As pessoas aqui são tão abertas; elas deixam você as conhecerem logo de cara.” Ela diz, o que está em sincronia com seu sistema de opinião pessoal: “Eu acho que você tem que ser o mais sincero e simples que pode. A beleza está dentro de você, e se você é maravilhoso por dentro, é tudo que você precisa,” ela explica. “É legal ver alguém com um nariz perfeito, boca perfeita, olhos perfeitos – mas onde está o charme? Eu gosto quando um rosto não é perfeito,” Vanessa diz, partindo seus lábios em seu muito sincero, muito charmoso sorriso de dentes separados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s