Tradução: Filles D’Ajourd’hui, Canadá (1990)

“Você tem que estar sempre na defensiva porque você nunca sabe como a mídia vai colocar as suas observações”.

Era um frio 4 de Dezembro, a temperatura era de -32ºC com vetos gelados. Uma hora engraçada em fazer sua primeira visita à Quebec! Vanessa Paradis já esteve nas ilhas do sul. Para Montreal, nunca. Ela foi beneficiada pelo lançamento de Noce Blanche, filme que ela atua como personagem principal, que faz sua divulgação em nossa cidade. Filles D’ajourd’hui teve a chance de conhecê-la.

O encontro é feito em um hotel chique de Montreal, na sala VIP. Por causa do frio, o tráfego é terrível, e como a entrevista só dura 30 minutos, eu não tenho um minuto a perder! Mas não, eu chego na hora. O agente dela me acomoda e sai. Vanessa vai está um pouco atrasada, ela está falando com alguém da França. Uma ligação importante que ela está esperando a alguns dias. Eu me junto com Pierre, o fotógrafo que está esperando a jovem estrela chegar para ele fazer seu trabalho. Tudo está pronto. 10, 15 minutos, nó brincamos que esperamos que isso não conte como parte de nosso 30 minutos! Eu acho que no fundo nós nos sentimos um pouco nervosos. Vanessa só tem 17 anos, mas ela já é uma estrela, e conhecer uma estrela é sempre impressionante.

Ela finalmente chega, acompanhada de sua fiel amiga Amandine. Quando Vanessa viaja, Amandine vai com ela. Ela anda autoritariamente e seu aperto de mão é firme. A primeira impressão é de que a jovem estrela é uma mulher determinada. Ela está vestida como muitos adolesentes se vestem: jeans preto, pullover preto, botas de cowboy. Ela usa puoca maquiagem, simplesmente o que você precisa para uma sessão de fotos. Ela rapidamente se senta. É imediatamente óbvio que ela é uma verdadeira profissional. Ela tem um aprumo notável.

Pierre tira as fotos. Eu observo a cena de longe. Para Vanessa, essa não é a 1ª vez e isso é aparente. Ela se conhece bem de todos os ângulos e muito gentilmente nega dar á Pierre um perfil particular. Ela é muito atenta à tudo que está acontecendo. Para ela, é trabalho e ela o faz seria e conscientemente.

A sessão de fotos termina, e nó sentamos à mesa com café. Vanessa come alguns sanduíches. Ela não comeu ainda e são 4 da tarde. Sem tempo a perder com conversa educada, o tempo está passando.

Vanessa, como as pessoas de Quebec estão te tratando?
Maravilhosamente, eu acho que de todos os lugares que estive, aqui é onde as pessoas me tratam mais simpaticamente. Todo mundo é muito gentil comigo. Infelizmente, eu não tive tempo de dar uma olhada por Quebec.

Já faz anos que você está nesta profissão, o que você acha que é o mais difícil?
A divulgação, eu acho. É muito cansativo. Você conhece tantas pessoas para responder centenas de perguntas. É muito estupeficante. Requere muita atenção. Você tem que estar sempre na defensiva porque você nunca sabe como a mídia vai colocar as suas observações.

A divulgação, é um pouco como uma rotina? 

Sim, absolutamente!

Você tem 17 anos, você se considera uma adolescente?

Não. É como se tivesse passado direto por isso. Minha adolescência voou muto rápido. Vivo em uma mundo adulto, então eu tive que aprender rapidamente como agir como adulta. Minha vida não lembra nem de perto a vida de outros adolescentes.

As pessoas crescem pensando que a vida de estrela é uma vida dos sonhos, o que você acha sobre isso?
Não mesmo. É muito exigente. Eu trabalho muito. As pessoas acham que porque eles não nos vêem na TV nós estamos sentados em casa ou estamos na praia em algum lugar pegando um sol. Esse não é o caso. Como hoje, eu não estou na França, mas estou longe de não ter nada para fazer.

Qual é a sua coisa favorita em ser cantora?
O estúdio. O tempo que você passa gravando é realmente fantástico. Você vive em outro ritmo, freqüentemente passando tardes bem tardes lá ou até a noite (porque estúdios não estão necessariamente livres durante o dia). Tem uma cumplicidade entre os músicos, o produtor, e os técnicos. Você se torna tipo uma família e enquanto você faz o seu trabalho seriamente, você se diverte muito. Provavelmente entrar no palco a fazer seu próprio show deve ser muito excitante, mas como não fiz isso ainda…

Você acha que fará um em breve?
Nós falamos sobre isso mas não é a hora de fazer um, eu não me sinto completamente pronta. Quando eu subo no palco eu quero que seja perfeito. É exigente fazer um show e eu não quero fazê-lo pela metade. Mas o dia vai chegar. Também é necessário que eu escolha um repertório de músicas muito cuidadosamente. Eu escolho músicas que me servem bem.

Você quer escrever suas próprias músicas?
Eu já escrevi, mas não mostro à ninguém porque elas não estão perfeitas.

Você parece esperar muito de si mesma.
Sim, acredito que quando você faz algo, é importante fazê-lo bem, se não, que bem vai fazer?! Eu só quero o melhor de mim.

Você é apaixonada pelo o que faz?
Absolutamente.

Você acabou de fazer ser primeiro filme. O que achou da experiência?
Eu adorei.

Seu primeiro papel foi uma personagem difícil. Por quê aceitou fazê-lo?
Primeiro porque eu achei o roteiro esplêndido, e a personagem muito interessante. Já tinha me oferecido papéis, mas nada atraente. Eu acho que é muito importante fazer boas escolhas e gostar do papel que vai fazer.

Interpretar Mathilde foi um desafio, certo? Ela não é uma personagem fácil, você não acha que sofreu um grande risco?
Sim, mas gusto de desafios e Mathilde foi um de bom tamanho. Ela me deixou fazer todos os tipo de emoções: paixão, amor, raiva. Eu realmente queria arriscar tudo.

E durante a filmagem, como foi?
Eu não vi as cenas diariamente. O diretor não quis que visse. Ele não queria que eu continuasse naturalmente, para não ser influenciada pela minha imagem na tela.

Então quando se viu na tela pela primeira vez?
Na noite da estréia.

Você estava satisfeita?
Eu me odiei. Você se vê maior na tela, você só vê a sua falta. É difícil ser objetiva comigo mesma.

E agora?
Agora que já faz 3 vezes que assisti o filme é melhor. Eu tento olhar para ele com mais descolamento, como se não fosse eu que estivesse atuando. Estou contente com o resultado.

Você atuaria de novo?
Sim, se alguém me oferecer um papel interessante.

Sem contar cantar e atuar, você tem outras paixões?
Eu adoro dança moderna. Eu faço regularmente.

E a sua vida Vanessa, se tivesse viver tudo de novo, você a mudaria?
Não mesmo. Eu a adoro!

O tempo acabou. Obrigado Vanessa. Tenha uma boa viagem à Paris. Vanessa levante, sempre determinadamente, ela me dá um aperto de mão vigoroso e vira. Ela junta-se à Amandine e elas vão comer. Vanessa é uma profissional de verdade, ela já é um adulta mas seus olhos e coração cintilam com o entusiasmo e espontaneidade da juventude. Eu até tenho a prova, antes de sair, Vanessa Paradis colocou o dedo no chantilly do buffet da muito chique sala VIP. Ufa, isso foi um alívio!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s