Tradução: Elle, França (20/03/2000)

A FELICIDADE DE VANESSA PARADIS
“Johnny Depp, minha filha e eu, é o triângulo perfeito”.

 

Vanessa Paradis: mamãe cantora. O mais belo papel de sua vida? Aquele de mãe… Vanessa Paradis acaba de gravar um novo álbum em Los Angeles onde ela vive com Johnny Depp. Pela primeira vez, ela fala com paixão e admiração de seu «amoureux» (amante) e da filha deles, Lily-Rose. Que felicidade!

Pequena estrela com voz rouca, canário multicolorido para Chanel, intérprete do maravilhado «Le turbilhão de la vie» em dueto com Jeanne Moreau, em Cannes…. Vanessa Paradis nunca deixou de nos encantar. De “Noce Blanche” à “La Fille sur le Pont”, ela provou que ela também é uma atriz incrível. A Lolita francesa vive agora em Los Angeles. Ela gravou seu novo álbum lá, que será lançado no outono. Aos 27 anos, ela ainda é esta pequena personagem poética. Ela sempre se recusou a falar sobre o homem que partilha a sua vida, Johnny Depp, o pai de sua pequena filha, Lily-Rose. Pela primeira vez, ela confidencia. Simplesmente.

Você não ganhou o prêmio César de melhor atriz. Você deve estar decepcionada. Qual é a coisa mais importante para você? O seu julgamento ou o dos outros?
Um prêmio agrada por um momento, mas isso não quer dizer muita coisa… é a minha mãe que ficou muito decepcionada. Ela estava tão animada, tão orgulhosa que sua filhinha foi nomeada! Você escreve, você canta para apenas uma pessoa que você gostaria de pasmar, para surpreender. Você quer que ele esteja orgulhoso de você. A principal coisa para mim hoje, mais do que qualquer outra coisa, é o que minha família pensa. Minha verdadeira família é aquela que eu construí sozinha: “mon amoureux” (meu amante) e Lily-Rose.

Eu gosto quando você diz «mon amoureux»…
É um pouco antiquado, eu sei, mas é verdade…

Um dia, você disse: “Eu não gostaria que o fim dos meus dias viessem sem ter tido um filho”. Você acha que teria falhado na sua vida se você não tivesse tido um bebê?
Antes de ser mãe, minha vida profissional foi muito bem sucedida, mas a minha vida privada era muito triste e melancólica. Eu sempre pensei que era um desperdício viver tantas coisas, tantas experiências maravilhosas para mim. Meu trabalho me deixou excitada, ele ainda me fascina. Mas, após uma certa idade, quando não há ninguém para segurar sua mão… me faltava o essencial. Agora, tudo faz sentido. Se eu não tivesse tido a oportunidade de conhecer o pai da minha filha, se eu tivesse sentido os efeitos do famoso relógio biológico, eu teria, mesmo assim, esse bebê, é muito egoísta, eu sei… Morrer sem ter conhecido esta felicidade deve ser terrível. Eu aprendi a viver a vida aceleradamente. Agora que eu sou uma mamãe, é acima de tudo. Com Lily-Rose, tenho tudo que eu poderia desejar.

É um nome bonito, Lily-Rose!
Eu gostei de Lily e gostei de Rose. Eu não conseguia escolher. É mamãe que me disse: “Mas por que você não a chama de Lily Rose?” Eu a chamo com mais freqüência “mon amour” (meu amor) ou “mon ange” (meu anjo) do que Lily-Rose. Toda vez que alguém pronuncia o nome dela, me dá arrepios.

Ela se parece com você?
Ela parece muito seu pai. Ela tem “les dents du bonheur” (“os dentes da felicidade”, o espaço entre seus dentes), como eu, a coitada! Ela é absolutamente sublime e inteligente, mas particularmente, ela é uma boa pessoa. Ela é extremamente generosa, já posso ver. As crianças são muitas vezes egoístas, mas, ela compartilha tudo o que ela tem. Ela é muito especial, muito estranha, muito fácil de lidar, ela nunca chora. As crianças, mesmo as dos outros, sempre me comoveu. Muitas vezes, eu me perguntava: “Mas como vai ser quando eu vou tiver um bebê?” Você sabe o que! É mais maravilhoso do que eu imaginava.

Você vai ter mais?
Claro que vamos, eu quero que ela tenha muitas irmãzinhas e muitos irmãozinhos. Muitos deles.

Quando o seu «amoureux», como você diz, fala sobre Lily-Rose, ele é tão maravilhado como você, é muito comovente.
Nós certamente falamos o mesmo que todos os pais. Você deve pensar que eu sou ridícula, não é? Ela é ainda mais do que tudo o que eu estou te dizendo. Ela nos deixa maravilhados toda hora. Eu sempre tive a convicção de que as crianças nos escolhem e que sua alma existe antes mesmo de dar à luz. Ela é um anjo caído do céu! Ela que nos escolheu.

Quando olhamos para vocês dois, temos a sensação de que vocês são do mesmo planeta. Você mesma já disse.
Eu não gosto muito de compartilhar minha vida com todos. Mas… é verdade, sim, é verdade. Neste mundo cheio de dramas e horrores, estamos inclinados a esquecer que as coisas podem ser tão simples e bonitas. Meu amoureux, minha filha e eu, é o triângulo perfeito. Nós somos como uma só pessoa. Eu não acho que poderíamos estar com outro alguém!

Nesta entrevista recente, Johnny Depp disse que esta coisa muito bonita: “Antes de conhecer a Vanessa, eu vivia em uma neblina”. E você?
Não é só porque ele é o homem que eu amo, mas eu nunca conheci uma personalidade tão bonita quanto a dele. Eu diria a mesma coisa sobre ele se eu fosse apenas sua amiga. (Ela está visivelmente muito emocionada. Ela faz uma pausa.) Quando você está feliz, que você deseja compartilhar sua felicidade. Gostaríamos que todos fossem tão felizes.

Como está sua vida agora?
Uma vez que Lily-Rose é está em nossa vida, nós realmente precisamos de mais nada. Ninguém mais. Somos auto-suficientes… Antes de ter o mon amoureux e minha filha, pensava que a rotina deveria ser chata e insípida, isso me assustou um pouco. Eu tinha medo de que após os primeiros três meses de paixão, as coisas entre nós fosse acalmar um pouco. É o contrário! Nossa história é cada vez mais bela, mais e mais forte. Nós nos organizamos para estar sempre um com o outro.

Você tem a sensação de que sua vida dá-lhe mais força, mais inspiração em seu trabalho?
Eu não quero fazer algo apenas comum. Para ambos. Falamos sobre nossos projetos. Nós fazemos perguntas um aos outro. Nós ajudamos um ao outro, mas não é o centro da nossa vida. Nossa vida, é Lily-Rose… Eu faço esse trabalho há 13 anos. Eu não podia tocar guitarra, porque eu sou tímida. Não apenas Johnny me deu uma, mas ele também teve a paciência de me ensinar a tocar. Ele faz minha vida muito mais fácil! Eu gostaria de ser capaz de ajudá-lo tanto quanto ele me ajuda, mas, talvez desse modo, ele precisa de mim menos do que eu preciso dele. Eu te disse. Ele é alguém muito raro.

O amor não te deixaria cega?
Não, eu lhe garanto. Johnny tem um ótimo gosto. Quando eu lhe peço conselhos, o que ele diz é extremamente correto, inteligente e nunca a norma. Ele sabe quando eu preciso ser colocada no caminho certo. O álbum que estou gravando com Mathieu Chedid é, de longe, o mais pessoal que eu já fiz. Sem Johnny, eu nunca teria conseguido isso. Ele confia em mim, então eu sou mais auto-confiante. No entanto, eu sou melhor cozinheira do que ele!

Você está falando como uma verdadeira mulher apaixonada…
Eu sei a batalha para as mulheres serem levadas a sério. Eu sei que em algum momento, gostaríamos de quebrar tudo e gritar para sermos ouvidas. É uma luta que eu conheço bem, assim como eu vivo cercada por homens, eu às vezes tinha dificuldade para ser levada a sério. Mas a minha maior felicidade hoje, é estar nos pequenos braços do meu homem. Eu quero que ele se sinta bem… Gosto de ver que ele tem uma boa refeição quando ele chega em casa. Eu gosto de preparar um banho para ele. Eu gosto de ver que ele tem todos os seus botões de sua camisa. Eu gosto de cuidar dele quando ele está doente. Não é uma canção, mas, para mim, é uma outra forma de criação. No entanto, devo me conter porque poderia se tornar sufocante e eu não quero sufocá-lo. Mas eu admito que eu adoro isso!

Vamos falar um pouco sobre moda: o que é, para você, a moda? Porque, quando eu olho para você, não é realmente nada.
Eu não consigo parar de comprar roupas. Meus armários estão cheios a ponto de explodir. O que eu amo? Primeiro, tecidos e cores, roxos, fushias, laranjas, impressos, coisas moles… entre eu e minha irmã, é a briga para roubar camisas e suéteres velhos de minha mãe, bastante desbotados, muito bons, tanto que estão desgastados. Eu sempre fiz a minha própria moda. O que eu gosto, acima de tudo, é sentir-me confortável.

Suas roupas ideais?
À noite, após o banho da minha filha, eu coloco minha grande calça azul-marinho, que se tornou quase cinza, muito doce, muito macia e uma grande t-shirt, ou eu uso os suéteres do mon amoureux.

Você também compra muito produtos de beleza?
Como tenho uma pele muito delicada, eu não posso mudar produto o tempo todo. Mon amoureux e eu somos clientes muito regulares dos cosméticos Clarins. Eu praticamente uso apenas eles, eu lavo meu rosto com o gel lathering, eu uso as máscaras de clarecimento, óleos para o corpo, eu amo… Dos 15 aos 20 anos, eu usei muita maquiagem. Como eu pensava que era horrível, eu tinha que me esconder. Eu ainda tenho esse círculo escuro ao redor dos meus olhos, que me faz parecer morta. De qualquer forma, quando as pessoas me viram sem maquiagem, sentiram pena de mim. Estou além de tudo isso agora. É, obviamente, graças ao olhar do homem que te ama e faz você se sentir confortável.

Você pratica treinamento físico?
Eu tive cursos de barras de terra em Paris, agora eu me exercito em casa. Eu também corro um pouco, mas eu não sou suficientemente disciplinada.

Você teve uma juventude muito agitada. Por ter tomado tudo o que você tomou aos 14 anos, você tinha que estar inconsciente ou totalmente determinada!
Sem jogo de palavras, eu diria que era uma determinação inconsciente. Aos 14 anos, você não está “terminada”. Eu era forte, é verdade, mas eu particularmente tinha uma grande dose de amor próprio. Quando você tem uma verdadeira paixão, você não pode ser facilmente ferido. Mesmo que eu odiasse aquelas pessoas, estou encantada de ter vivido aqueles anos extremamente difíceis. Eles me deram força para o resto da minha vida.

Qual foi o acontecimento mais importante na sua carreira?
Minha primeira turnê em 1993, depois do meu terceiro álbum. A única que eu fiz. Essa é a coisa mais intensa que eu vivi. Aplausos sempre me fazem chorar. Eu nunca vou esquecer dos três meses que passei com Serge Gainsbourg. Eu tinha 17 anos, ele 61, e eu tinha a sensação de ter diante de mim um menino de sete anos, comovente e frágil. Lamento não lhe dito o quanto eu o admirava, o quanto ele era único. Lamento não ter o abraçado com mais freqüência. Desde então, aprendi a imprimir na minha memória cada momento, cada olhar, todas as coisas que me comovem. Muitas vezes, por timidez, você se impede de fazer algo. Eu entendi que era melhor ter remorso do que arrependimento.

Hoje, você tem a vida que você sonhou?
Eu tenho uma vida que eu nunca teria me atrevido a sonhar. Eu teria me dito que eu pedi demais!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s