Crítica de “Boda Branca” na Folha de São Paulo

FSP_bodabranca

Com Boda Branca (Noce Blanche) fazendo sucesso aqui novamente (a primeira vez foi na sua estréia, em 1989) com exibições na tv e no cinema, saiu uma pequena nota no jornal Folha de São Paulo no caderno “Ilustrada”. Infelizmente não tem nenhuma foto do filme.

“Boda Branca” impressiona pelo realismo na direção

A história de “Boda Branca” (TV5 Monde, 1h29) faz lembrar “O Anjo Azul”, de Josef von Sternberg, mas é bem outro o andamento no filme de Jean-Claude Brisseau. Em comum, duas personagens femininas que dão tom à trama: a Marlene Dietrich do “Anjo” e a Vanessa Paradis do “Boda”.

Também há dois professores. No caso aqui, o ótimo Bruno Cremer é um professor de filosofia com um casamento estável até se apaixonar por Vanessa. Daí por diante, cátedra e casamento estarão bem a perigo.

À parte marcar a estreia no cinema da bela cantora (na época Vanessa tinha menos de 18 anos), o filme impressiona pelo realismo que Brisseau imprime à direção. É o oposto do barroco de “O Anjo Azul”, mas não menos interessante.

Fonte: Folha.Uol

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s