Exibição de “Amante a Domicílio” no Film Independent

lacma

Ontem (03/04), ocorreu mais um evento promovendo do longa Amante a Domicílio (Fading Gigolo). Vanessa Paradis e John Turturro participaram da projeção do filme e deram uma entrevista.

O evento chamado Film Independent no LACMA, em Los Angeles, foi privado e somente membros do LACMA Film Club, Film Independent e New York Times Film Club tiveram acesso aos ingressos e poucas fotos amadoras estão sendo divulgadas.

Abaixo, o vídeo do bate papo. Colocamos a tradução  só de algumas das partes mais importantes, pois o vídeo é longo e o texto ficaria enorme:

O encontro com Turturro.
V: Foi engraçado! Nos conhecemos 1 ano e meio antes desse filme por causa de outro projeto. Tivemos uma boa conversa e esse filme acabou não acontecendo, e 1 ano e meio depois, John me propôs esse papel e fiquei muito feliz.

John sobre Vanessa.
J: Eu não imagino outra pessoa no lugar dela fazendo o que ela fez no filme… Woody não a conhecia e estava convencido de que ela era uma Judia Hassídica. Ele dizia: “ela é muito Hassídica” e eu falava “eu não acho, Woody”… Eu não quero deixá-la envergonhada, mas é muito raro ver alguém ser tão gracioso, delicado e lindo em um filme. Eu realmente tento proteger o que ela fez, porque foi um grande presente.

A preparação para o papel.
V: Eu passei um bom tempo com uma garota que fugiu de sua comunidade Hassídica, e ela foi muito generosa com tudo que me contou. Eu não conhecia muita coisa sobre sua religião, e ela me falou sobre sua educação, vida e tudo mais que estava perdendo e o que queria viver ainda. Foi muito útil.

A timidez da Vanessa e de sua personagem.
V: Lembro de vários momento em minha vida que fui tímida. Acho que estava procurando por isso (o papel), porque a palavra que você mais usa nessa religião, especialmente as mulheres, é humildade. Então eu pensei em menos gestos… você não usa a sedução, nada, basicamente tenta ser invisível.

John sobre a peruca de Avigal (Vanessa).
J: Quando eu encontrei a peruca, ia enviar uma foto para a Vanessa, e disse para a moça “me dê sua melhor peruca, uma peruca Rolls-Royce”. Eu queria uma a qual as pessoas pensassem ser cabelo verdadeiro, e quando me trouxeram, imediatamente me lembrou Julie Christie em Shampoo, que eu sempre adorei, e não sabia como ficaria na Vanessa e então ela veio e colocamos na cabeça dela e pensei “uau! Devemos ter uma chance com esse filme”.

Turturro sobre a ideia do longa.
J: Minha primeira visão sobre esse filme, acho que ainda não contei para a Vanessa, minha primeira imagem além de mim e Woody no “negócio do sexo”, foi um sonho. Eu tenho muitos sonhos malucos. Eu dirigi Elaine Stritch em Romances e Cigarros, ela tem 80 anos e alguma coisa e nunca usa calças, digo, vestidos, ela só usa ternos e camisas… E eu fiquei com a imagem de Elaine sendo essa mulher de 80 anos, uma virgem, e pagando um cara para fazer sexo, e a imagem dela desapontada, fumando um cigarro e pensando “era isso que eu estava esperando?”, e o cara dizendo “você tem que praticar, é sua primeira vez”… E então ela se tornou Avigal, a história verdadeira da Vanessa.
V: Vê? É por isso que quero fazer filmes com ele!

Vanessa sobre certos tipos de repressões, talvez americanas, que algumas pessoas sofrem.
V: Eu não estou certa, mas isso me parece universal. É por isso que quando perguntam “como você se sente e o que aprendeu com seu papel?”, você também pode olhar para a vida dos outros em diferentes situações, essa armadilha e solidão que sentimos em algum ponto da vida, e podemos comparar com isso (a repressão). Minha personagem é alguém que saiu de uma comunidade extrema, e é uma metáfora para muitos de nós.

Vanessa na trilha sonora (cantando Tu Si Na Cosa Grande).
V: Foi maravilhoso, porque eu amo cantar e italiano é uma língua maravilhosa para se cantar, e eu tive um ótimo treinador, uma assistante do filme é de Nápoles e ela me ensinou a fonética e eu aprendi no meu trailer.
J: Vanessa gravou no quintal dela e me mandou, seu cão estava latindo ao fundo. (John ainda fala da versão gravada para o disco da Van,  Love Songs, completando que é um álbum maravilhoso).

Vanessa sobre o filme.
V: Eu fiquei tão feliz, tão orgulhosa, não consigo explicar o que senti quando estava gravando o filme em Nova York, com John e esse grande elenco, eu fiquei tipo “oh, estou realmente aqui?”, e então ver esse filme acho que foi a primeira vez que não fiquei dizendo que fiz tudo errado, simplesmente assisti, adorei e fiquei muito orgulhosa por fazer parte disso.

Como foi trabalhar Woody.
V: Ah meu Deus! Na minha primeira cena, eu estava com o turbante e ele chegou com as crianças, e um dos garotos tem piolho e um enorme cabelo afro e fiquei com medo de machucá-lo com aquele pente minúsculo, e ainda Woody improvisava todas as suas falas, fique nervosa. Mas quer saber? Foi ótimo! Eu tinha que dar tudo de mim, ser boa, porque imagina, ir até Nova York e se tornar a terrível atriz francesa, então me foquei.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s