Tradução: Vogue França (23/02/2018)

Vanessa Paradis: “Eu me sinto liberta”

 

Seu nome que nós juraríamos que foi inventado, seu sorriso marcante e uma fotogenia incrível, Vanessa Paradis não para de encantar. De surpreender também. Como no novo filme de Samuel Benchetrit, Chien, incrível fábula cruel, ela atravessa com confiança. Ela parece tão leve que quase esquecemos que ela passou, durante trinta anos, a filmografia de alguns monstros do gênero, Jean Claude Brisseau, Jean Becker, Patrice Leconte, Jean-Marc Vallée, John Turturro, a quem mediu contra o poder de Derpardieu, Delon, Belmondo. É de Los Angeles que promove seu último filme. Quando o telefone toca, sua voz de cigarro, distante, mas segura, desencadeia uma avalanche de memórias, a sua própria, que também é nossa. Estranha mistura de familiaridade e distância, simpatia alegre e domínio perfeito do exercício de entrevista. Nothing personal. Ela sabe muito sobre este trabalho, suas curiosidades pouco saudáveis, suas ondas de mania e os momentos de esquecimento, de esperar, jogar o jogo das confidências. Ela escolheu há muito tempo o seu campo, o prazer de brincar, curtir a vida com a guarda, o campo das canções que fazem o bem, a melancolia do tempo que passa.

Samuel Benchetrit diz que ele tinha certeza de que você diria que não! Não seria porque o papel que ele lhe propôs é bastante curto.
Ah? Talvez ele pensou assim porque ainda não nos conhecíamos. Abri o roteiro e a história começa com uma cena de ruptura, engraçada e cruel, essa mulher, a quem eu interpreto, que deixa o marido de maneira tão absurda e covarde. Fiquei feliz em receber esse papel. Está inflado. Gosto de todos os papéis desde o momento em que me fazem vibrar, onde eles me chamam. Uma minuto em um filme, se é sensacional para interpretar, isso me atrai tanto quanto um papel principal. E então, o que conta é fazer parte de um filme com o qual tenho orgulho, um filme que eu veria como um espectador. Eles são raros, esses filmes. Há tudo no cinema, mas há propostas que fazem você vibrar mais do que outras.

Anúncios

Um comentário sobre “Tradução: Vogue França (23/02/2018)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s